Quero estudar fora: Por onde começo?

Tempo de leitura: 3 minutos

De acordo com um relatório divulgado em 2015 pela ICEF, a cada ano cresce, em média, 12% o número de estudantes que passam um tempo fora de seu país de origem. Seja mestrado ou o aprendizado de um novo idioma, estudar fora já é um pensamento comum para o brasileiro.

Entre programas universitários, empresas de intercâmbio e escolas de idiomas, existe um mar de opções para quem deseja uma nova experiência em outro país, mas por onde começar?

Para te ajudar na missão de começar a planejar sua próxima aventura, separamos 4 dicas que irão responder as perguntas chaves para um planejamento de sucesso. Confira!

Leia também: Saiba como iniciar o planejamento financeiro para o seu intercâmbio.

  • Antes de tudo, estabeleça seus objetivos

Quero estudar fora: Por onde começo?

Experiência cultural/profissional, aprender um novo idioma ou fazer um mestrado? Muitos são os objetivos que levam uma pessoa a estudar fora. Mesmo que você queira atingir mais de um objetivo com sua viagem, é importante determinar os pontos principais que te motivam, assim fica mais fácil encontrar um destino que se encaixe nele.

Se o seu objetivo for estudar inglês, por exemplo, os destinos mais procurados por brasileiros são Irlanda e Austrália. Para cursos profissionalizantes, o Canadá vem crescendo como opção cada vez mais.

  • Pense no tempo X dinheiro

Nem só de objetivos e planos se faz uma viagem, não é mesmo? Para que um planejamento se torne efetivo é preciso contar com dois fatores fundamentais: tempo e dinheiro.

Uma vez que você entendeu seu objetivo e, consequentemente, os países que melhor se encaixam nele, é preciso entender quando e quanto; quanto tempo você dispõe para essa experiência e quanto você irá precisar, monetariamente, para que isso se torne realidade.

Além de reduzir mais um pouco as listas de destinos, você estará ganhando mais tempo no seu planejamento para se organizar financeiramente. Um curso de 3 meses na Irlanda, por exemplo, incluindo acomodação, passagens, curso e o dinheiro necessário para gastos, fica em torno de 22 mil reais.

  • Converse com quem já passou pela mesma experiência

Nada melhor do que saber de quem já fez. Blogs, grupos no Facebook, feiras de intercâmbio, depoimentos e canais no Youtube; hoje em dia existe uma infinidade de conteúdo na web que pode te ajudar a ter uma visão mais ampla e mais segura referente a estudar fora.

Um exemplo é o Danilo Te Ajuda, que oferece vídeos semanais sobre diversos destinos, tirando as principais dúvidas de quem quer estudar fora e também oferecendo conteúdos didáticos do que é preciso para se planejar.

Veja experiência da Sandra: Meu intercâmbio na Irlanda – Sandra Moreira

  • Considere contratar uma empresa para te ajudar

Definir objetivo, alinhar os objetivos com tempo e dinheiro, entender o melhor destino, pesquisar as exigências do país, VISA, documentação, saúde…muuuuuuuuuitos são os detalhes que cercam a decisão de estudar fora. Por isso, se você é marinheiro de primeira viagem, contratar uma agência de intercâmbio pode ser a melhor opção.

Quero estudar fora: Por onde começo?

A agência já lida diariamente com as questões que você precisa, algumas delas já possuem acordos com cias aéreas, cias de saúde e outras parcerias que irão tornar sua viagem mais segura e, às vezes, até mais em conta. Sem contar o fato de que você vai ter alguém para te ajudar a definir todos os pontos citados à cima.

Seja por agência ou por conta própria, certifique-se de fazer muitas pesquisas, em diversas fontes, ir em feiras de intercâmbio, conversar com pessoas e até fazer um orçamento sem compromisso para comparação de valores. Dessa forma, você se sentirá muito mais seguro para estudar fora!

E você? Já estudou fora ou está se planejamento para isso? Qual foi o destino escolhido? E as maiores dúvidas? Conta para a gente na sessão dos comentários!