Malta abrirá programa de estudo e trabalho para não Europeus

Tempo de leitura: 1 minuto

Segundo um dos maiores portais de intercâmbio na Irlanda, o E-Dublino Ministério da Educação maltês anunciou algumas mudanças no visto de estudante, nas quais irá permitir que estudantes não-europeus apliquem para programas de estudo e trabalho em Malta.

O objetivo da mudança é tornar Malta um destino mais atrativo para estudantes que não pertecem a União Europeia. Dentre as mudanças, a que mais chama a atenção dos intercambistas é a autorização para trabalhar no país.

Malta abrirá programa de estudo e trabalho para não Europeus

Leia também: 05 Benefícios de se fazer um intercâmbio de curta duração durante suas férias

Acredita-se que os estudantes não-europeus poderão trabalhar 20 horas semanais. Antes das novas medidas, somente estudantes que possuíssem a dupla cidadania podiam trabalhar no país. 

 As regras específicas sobre a permissão de trabalho devem ser divulgadas em breve, junto com as mudanças nos tipos de visto de estudante.

Malta abrirá programa de estudo e trabalho para não Europeus

Hoje o governo maltês separa os alunos por 2 categorias de estudantes: Os que querem realizar um curso superior e os estudantes que tenham nível para aplicar para um superior, como os estudantes de inglês, por exemplo. As novas regras serão aplicadas para ambos os grupos. 

Leia a matéria completa aqui: Estudantes não europeus poderão estudar e trabalhar em Malta

E você, o que achou dessa novidade? Já está fazendo as malas para Malta? 🇲🇹

Deixe sua opinião aqui nos comentários!